Vocês sabiam que existem teóricas que discutem a opressão de mulheres brancas sob uma ótica de raça e classe?

Sim, raça, porque caso vocês não lembrem, branco também é uma marcação racial.  O ponto é que elas partem da questão do acúmulo de recursos e de propriedades nas mãos de um grupo racialmente demarcado (branco) para refletir o controle sobre os corpos femininos (brancos) como uma forma de manter a concentração desses recursos. Ou seja, a capacidade reprodutiva delas é cerceada para evitar a dispersão desses recursos.

Para saber mais leiam Cherryl Clarke e Verena Stolcke. Se precisarem dos textos, mandem e-mail para bibliopreta@gmail.com que nós enviamos com prazer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =